7/27/2010

7/10/2010

Queres sair do sofá?

video

Acampamento de Verão 2010

Caro Jovem…

Chegou a altura de saberes que existe algo melhor que o teu sofá…

Algo melhor que a tua televisão…

Algo melhor que a tua playstation

Algo muito melhor que o teu telemóvel…

Esse algo é…


O Acampamento de verão do Movimento Católico de Estudantes da Diocese de Leiria-Fátima & Aveiro 2010.



Para acabar um ano lectivo de aulas, testes e afins, nada melhor do que te divertires, durante uma semana diferente preparada especialmente para ti!


Imaginem só...

Ambiente de serra, piscina natural fantástica, um sol espectacular, ar puro, natureza acompanhada por debates, reflexões, orações, jogos e claro, muita animação entre todos!

É impossível dizer que não!


Passemos aos assuntos mais sérios...


O acampamento vai ser na praia fluvial do Mosteiro, de 27 de Julho a 2 de Agosto e custará 35€. A confirmação da tua participação deve ser feita até o dia 17 de Julho, sem falta!


Para participar deves contactar alguém da equipa de preparação (contactos no rodapé), e estar às 14.30 do dia 27 de Julho em frente às Piscinas Municipais de Leira para apanhar o nosso autocarro. Uma vez nas piscinas alguém se apresentará como responsável, e inteirar-te-á do que for necessário.


Contamos ainda com os teus pais para a tarde de Domingo (1 de Agosto) porque eles também são especiais!

Vão-te visitar e de preferência com comidinha caseira para depois todos partilharmos entre nós e claro, para matar saudades!

Atreves-te?

Contacta-nos:

Teresa Silva - 912417990

Joana Martins - 91904941

Pe Gonçalo Diniz - 915070117

oana Martins


Joana Martins

3/24/2010

Que mudança posso ter/ser no mundo

Este é um texto que saiu do meu agir, proposto na reunião em que o tema era " A mudança que nos temos"

"O que eu acho que posso mudar no mundo?!

Eu acredito que posso ter uma influência positiva. Penso mesmo que é nos pequenos pormenores que vou marcar a diferença, nas relações do dia a dia, em cada pequeno detalhe. Acredito que se tiver sempre a atitude certa, em cada pequena coisa, poderei receber também o lado bom dos que me rodeiam, e isso será uma pequena harmonia.

Penso que também será importante, abraçar as oportunidades de modo a estar em contacto com o mundo que me rodeia, de forma a ser activo e fomentar a mudança, envolvendo-me em eventos, organizações, onde o meu contributo seja a maior mais valia possível, estando sempre de corpo e alma. Não me poderei fechar na esfera que me é familiar, com a desculpa que não "vale a pena", porque o mundo lá fora é maior que eu. Apesar de ser uma verdade incontestável, não é desculpa para nada.

Imagino-me na direcção de um clube ou até mesmo na politica, desde que seja de num projecto Credivel, coerente competente e exigente. Revejo-me a fazer um trabalho exigente, num clube onde possa desenvolver uma filosofia de competência, e em que vejo os jovens a ser formados. Trabalhar jovens além de ser uma maneira de aprendermos, é a oportunidade de deixar uma marca.

O mais importante será sempre não cair no erro de contentarmos com o já atingido , porque muito deste dinamismo de que imaginei para mim, não passa de uma maneira de continuar a apreender com outros, podendo ao mesmo tempo, transmitir o pouco conhecimento acumulado. Podendo assim continuar a mudar os nossos conceitos.

Projectos:

-Fazer parte de uma organização que forme jovens (um clube)
-Dar aulas, tentar ser um professor eficaz e não o professor fixe
-Entrar no activismo politico, com o intuito de planificar uma região ou um sector da economia, observando realidades, discutindo ideias, tracando um rumo e implementando projectos."




2/26/2010

X JUC

Dias 19, 20 e 21 de Março realizar-se-ão as X Jornadas de Universitários Católicos, na bela cidade do Porto.
Para mais informções vai a http://www.juc.mce.pt/

Increve-te!

2/09/2010

Concurso Imagem do Mês


Pessoas dessa gande cidade da ria que é Aveiro,
ponham o vosso talento e imaginação a funcionar e toca a tirar fotos para o concurso da imagem do mês do nosso MCE.


Só têm de, depois de tiradas as fotos, enviá-las em formato JPEG ou BMP.
Não podem ser mais pequenas que 2560 x 1920 pixeis. Devem mandá-las para o mail mce.comunicacao@gmail.com

Juntamente com a foto devem enviar os dados (o nome, o titulo da fotografia, a diocese, o sector, a equipa) e uma pequena discrição da foto.



Fácil, não é?...então podem começar!






2/08/2010

Perdoar...

Sabes perdoar?


Já alguma vez perdoas-te?


... perdoaste ou simplesmente fechaste os olhos e fingiste que aquilo não tinha acontecido acreditando que isso era perdoar?




O que é que é perdoar?



Como é que se perdoa?



...compreender antes de perdoar.






...foi uma grande reunião equipa!



2/01/2010

À chuva...


...o que é que fazes?

1/05/2010

Li num livro que

A Europa foi e é percorrida a pé. Isto é fundamental. A cartografia da Europa é determinada pelas capacidades, pelos horizontes percepcionados dos pés humanos. Os homens e as mulheres europeus percorreram a pé os seus mapas, de lugarejo em lugarejo, de aldeia em aldeia, de cidade em cidade. O mais das vezes, as distâncias têm uma escala humana, podem ser dominadas pelo viajante que se desloque a pé, pelo peregrino até Compostela, pelo promeneur, seja ele solitaire ou gregário. Há extensões de terreno árido, proibitivo; há pântanos; os alpes elevam-se. Mas nada disto constitui um obstáculo intransponível. Não há Saras, Badlands, tundras inultrapassáveis.
(...)
Mateforicamente, mas também, materialmente, essa paisagem foi moldada, humanizada, por pés e mãos.
George Steiner | A Ideia de Europa
Não sei bem porque pus isto aqui. Creio que há vários significados a retirar disto. Vários tópicos a serem tocados. Dei por mim (apenas) a pensar nestes:

"Não é possível ir a pé de uma cidade americana a outra. Os desertos do interior australiano, do sudoeste americano, os "grandes bosques" dos estados do Pacífico ou do Alasca, são praticamente intransponíveis" (George Steiner em A Ideia de Europa)
Não temos total noção da sorte que temos em vivermos numa Europa tão cheia de várias culturas, diferenças e línguas. Somos muito ricos e temos tudo ao nosso alcance para não perdermos nada;

Juntamente com a lembrança do livro de José Saramago Memorial do Convento (don't ask) orgulhei-me de Portugal. Fomos ágeis de pensamento e acção e de uma bravura imensa na época dos Descobrimentos. Muito burros por termos deixado tudo a descambar;

e por fim:
"Seremos o que quisermos"
Nem as montanhas mais altas nem o campo mais extenso impede um caminhante de prosseguir o seu caminho.